Adriana Ferreira e Monica Henrique – Foto: Renato Moreth.

EXPERIÊNCIA ÁRABE

A chef Bel Mourad, especialista em comidas típicas libanesas, prepara no dia 6 de julho, às 19h30, um jantar no Restaurante Olimpo, em Charitas, onde sentidos serão aguçados ruma a uma viagem pela cultura, arte e gastronomia libanesa. Os convites estão à venda pelo fone: 21.2711.5041 ou 21.97969.9928

CASA DE BAMBAS

Entre os dias 8 a 16 de julho, o Rio de Janeiro receberá a 6ª edição do Encontro Nacional de Bambas. Serão 9 dias de intensa programação gratuita que levará a capoeira para ocupações em Museus, teatros, entre outros espaços culturais, com rodas de capoeiras, oficinas, apresentações de dança, desfile de moda com projeto social, shows musicais, presença de grandes nomes da capoeira, e muito mais. O evento terá atrações em diversos locais da cidade e a programação completa pode ser conferida pelo site: https://acasadebambas.org/.

NO BLOCO COM NEY

Ney Matogrosso é, sem nenhuma dúvida, um dos maiores nomes da Música Popular Brasileira. Com uma carreira que influenciou e ainda influencia diversos artistas, ele abriu data extra da turnê Bloco na Rua, no Vivo Rio. O cantor leva ao palco um repertório em que mescla canções que já gravou a músicas de outros artistas.

BAIXA NO LEBLON

A Rua Dias Ferreira no Leblon, acaba de perder mais um bar. O mixologista Jonas Aisengart, sócio do Quartinho, Chanchada e Pope, fechou o Dias Bar e Mar, na caríssima rua, apenas seis meses depois da inauguração. O gastrobar de inspiração mediterrânea, contava também com um clube de jazz intimista no subsolo, o Velvet. O proprietário do imóvel, não quis negociar o valor do aluguel e com certeza, prefere arcar com as altas despesas do imóvel fechado, não?

ARTES VISUAIS

A retrospectiva Heitor dos Prazeres é meu nome, aberta esta semana no Centro Cultural Banco do Brasil, no Centro do Rio, reúne mais de 200 obras, entre pinturas, desenhos e esboços, mobiliário, indumentárias, partituras e acervo documental do artista. As pinturas destacam o contexto pós-abolição da escravidão (1898) e as manifestações das experiências coletivas negras.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.